segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Movimento de Lausanne, mover do Espírito

Na leitura que eu faço da história, o Movimento de Lausanne nasceu na década de 60. Tudo começou quando a Associação Billy Graham convocou o Congresso Mundial de Evangelização. Na dividida Berlim, de 25 de outubro a 1 de novembro de 1966, líderes do mundo inteiro se reuniram para, em unidade, decidir os rumos da tarefa evangelizadora da igreja no mundo. O tema desse congresso foi “Uma raça, um Evangelho, uma tarefa”.
Ao que me parece, a contribuição mais importante do Congresso Mundial de Evangelização foi a constatação da necessidade de realização de congressos continentais de evangelização. Na América Latina, essa necessidade foi suprida no CLADE I, convocado pela Associação Billy Graham e realizado em Bogotá, Colômbia, entre os dias 21 e 30 de novembro de 1969. O tema do Primeiro Congresso Latino-Americano de Evangelização foi “A ação em Cristo para um continente em crise”.
No CLADE I foi gestada a “Fraternidade de Teólogos Latino-Americanos”, que viria à luz um ano depois, em Cochabamba, 1970. Posteriormente, seu nome será mudado para “Fraternidade Teológica Latino-Americana”, como prevalece até os dias atuais. Na minha opinião, a FTL é a maior agência da Teologia Latino-Americana, especialmente através dos vários Boletins Teológicos publicados (29 só em língua portuguesa).
Aquele que é considerado o maior evento protestante do século passado aconteceu entre os dias 16 e 25 de julho de 1974: o Congresso Internacional de Evangelização Mundial, em Lausanne, Suíça. É daqui que vem o seu nome: Congresso de Lausanne. A contribuição mais importante de Lausanne, cujo tema foi “Deixe a terra ouvir sua voz”, foi o casamento entre evangelização e ação social. Essa contribuição se encontra no Pacto de Lausanne, documento que expressa a confissão de fé do movimento evangelical ao redor do mundo.
No Brasil o impacto de Lausanne só se fez sentir, efetivamente, através do Congresso Missionário, promovido pela Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABU-B), na cidade de Curitiba, em 1976. Sob o tema “Jesus Cristo: senhorio, propósito, missão”, centenas de pessoas, especialmente jovens, sentiram-se profundamente despertados para a obra missionária.
Em se tratando de América Latina, o CLADE II foi convocado pela FTL e realizado em Huampani, Peru, de 31 de outubro a 8 de novembro de 1979. O tema do Segundo Congresso Latino Americano de Evangelização foi “Que a América Latina escute a voz de Deus”.
Aquele que é considerado um dos maiores eventos protestantes do Brasil no século passado aconteceu entre os dias 31 de outubro e 5 de novembro de 1983: Congresso Brasileiro de Evangelização, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Líderes de todo o país se reuniram para que “O Brasil e o mundo ouçam a voz de Deus”. Esse foi o tema do CBE 1, quando eu tinha apenas 1 ano de idade.
O Segundo Congresso Internacional de Evangelização Mundial, conhecido com Lausanne II, aconteceu em Manila, Filipinas, em 1989. A contribuição mais importante de Lausanne II, cujo tema foi “Proclamar a Cristo até que ele venha: convocar toda a igreja a levar todo o Evangelho a todo mundo”, foi manter o foco da igreja de Cristo na Grande Comissão de Jesus. Mas, lamentavelmente, o casamento entre evangelização e ação social, aparentemente, entrou em crise durante esse congresso.
Voltando à América Latina, o CLADE III aconteceu em Quito, Equador, de 24 de agosto a 4 de setembro de 1992. Em consonância com o Lausanne II, o tema do Terceiro Congresso Latino Americano de Evangelização foi “Todo o Evangelho para todos os povos a partir da América Latina”.
Na virada do milênio, o CLADE IV também aconteceu em Quito, Equador, de 2 a 9 de setembro de 2000. O tema do Quarto Congresso Latino Americano de Evangelização foi “O testemunho evangélico rumo ao terceiro milênio: Palavra, Espírito e missão”. A evangelização no século XXI foi a grande preocupação desse congresso.
Em 2003, finalmente, eu passei a fazer parte dessa história. Em meio a uma terrível crise pessoal, participei do Segundo Congresso Brasileiro de Evangelização, cujo tema foi “Proclamar o Reino de Deus, vivendo o Evangelho de Cristo”. À semelhança do primeiro, esse congresso aconteceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, entre os dias 27 de outubro e 1 de novembro de 2003. Na ocasião, tive a oportunidade de fazer a oração que encerrou as atividades do primeiro dia, o que muito me alegrou o coração.
Em comemoração aos 30 anos do Congresso Missionário de 1976, a ABU-B realizou o Missão 2006. Diferentemente do primeiro congresso, esse aconteceu em Viçosa, Minas Gerais. Também diferentemente do primeiro, desse eu pude participar. Todos aqueles que participaram tiveram seus corações inundados por uma “Esperança viva em Jesus”. Lembro-me, como se fosse hoje, das meditações bíblicas em 1 Pedro.
Infelizmente, não pude participar do Lausanne III, que aconteceu na Cidade do Cabo, África do Sul, entre os dias 16 e 25 de outubro de 2010. O tema desse congresso foi “Deus em Cristo reconciliando consigo o mundo”, tendo com principal referência a epístola de Paulo aos Efésios. Qual seria sua contribuição mais importante? Penso que ainda é cedo para responder essa pergunta.
Quero encerrar anunciando que o CLADE V já está marcado. Ele acontecerá em San José, Costa Rica, na primeira quinzena de julho de 2012. O tema desse congresso será “Seguir a Jesus em seu Reino de vida: Guia-nos Espírito Santo”. Se Deus quiser, nesse eu quero estar presente.

Luiz Felipe Xavier.

P.S.: Esse texto foi elaborado para a abertura do “Mural Teológico” sobre Lausanne III, promovido pelo Núcleo da FTL-B, em Belo Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário